domingo, 4 de março de 2012

Cerca de 1700 idosos vivem sozinhos no distrito de Santarém em Portugal, afirma a GNR

A operação «Censos Sénior 2012» da GNR identificou 1680 idosos a viverem sozinhos e 197 a residirem isolados no distrito de Santarém. Só na capital do distrito, Santarém, a GNR registou 63 idosos a viverem sozinhos e oito em situação de isolamento. O concelho de Abrantes foi aquele em que se registou maior número de idosos a viver sozinhos e isolados (309 e 37, respectivamente), seguindo-se Mação (250 e 24), Torres Novas (218 e 12), Chamusca (165 e 13), Golegã (153 e 1), Alcanena (150 e 3) e Vila Nova da Barquinha (118 e 7).
O concelho com menos idosos a viver sozinhos é Salvaterra de Magos (um), sem qualquer registo de idosos a viverem isolados, seguindo-se Benavente (quatro a viverem sozinhos e um em situação de isolamento), Ferreira do Zêzere (quatro e três) e Coruche (quatro e 19).
Num balanço da operação, que decorreu de 15 de Janeiro a 29 de Fevereiro, a GNR afirma que, no total, foram contabilizados no distrito de Santarém 2123 idosos, 1680 dos quais vivem sozinhos e 197 vivem isolados.
No ano passado a GNR registou, no distrito de Santarém, 1723 idosos a viverem sozinhos, o número mais elevado do país obtido durante a operação «Censos Sénior 2011».
A operação, levada a cabo pelas secções de Programas Especiais (SPE) dos Destacamentos Territoriais, em toda a área de jurisdição da GNR, tinha como finalidade fazer o levantamento e registo de todos os idosos do distrito que vivem sozinhos ou em locais isolados, afirma a Guarda Nacional Republicana em comunicado.
A operação teve igualmente por objectivo «sinalizar as situações de potencial perigo e informar as entidades competentes de tais situações», acrescenta.


9 comentários:

Janice Adja disse...

Deve haver um motivo para o isolamento.
Eu mesma se pudesse moraria em um lugar onde não ouvisse a voz de outro ser humano.

Lecy'ns disse...

Olá..

É uma estatística lamentável e triste,pois viver isolado não é saudável em qualquer idade,principalmente quando se atinge a idade amadurecida pela vida...
O Quanto é necessário, e muito,o contato com pessoas, o abraço, o diálogo,o aperto das mãos, o afeto.. são molas propulsoras que alimentam a auto estima, as células, faz bem ao coração, a mente, enfim acredito que o contato deva existir fundamentalmente, nem que seja vez por outra, em todas as idades.
Obrigada por compartilhar o post.
Grande bj no coração,
Lecy'ns

Brigite disse...

Pra muitas pessoas os idosos se tornaram "pedras no caminho",estes por sua vez se isolaram ,pois, näo andam mais no mesmo ritmo que nossa sociedade anda.Näo é de admirar que muitos näo querem mais contato ,porque este nem é possível se näo mudarmos a nossa mentalidade.Precisamos gastar mais tempo com eles, uma comprinha de mercado aqui, uma leitura ali,uma gentileza, ouvi-los,cantar,fazê-los cuidar de algum jardim ou animal de estimacäo,faze-los se encontrar com outros velhinhos pra conversar ,dancar... tudo isso é possível !!! escutar suas estórias,respeitando seus desejos, näo ,näo, é fácil.Mas devemos nos lembrar que isso comeca em casa: cuidando de nossos pais ,avós e e vizinhos...Se dedicarmos algumas horinhas em fazer com eles um passeio, mudar a roupa deles ,dar uma varrida na casa onde moram ,ou contando as novidades. Sim näo é só falar mas usar a prática destes atos: FAZER acontencer: Acäo ! Descobriríamos um bélo sorriso por detrás destes rostos tristes e sozinhos. Tem velhos por ai que säo bibliotacas ambulantes , eles tem a experiência de vida que podem nos ajudar a entender a viver melhor. Amor incondicional ,é nossa responsabilidade e näo simplesmente sentir pena e reclamar de nossas instituicöes que näo conseguem resolver o problema.Arregassem as mangas e comecem amanhä logo cedinho a ajudar o 1. velhinho que te aparecer pela frente e só assim as coisas mudam... Eu desejo mais amor de graca ,um amor fraternal que näo custa: mas ajuda a fazer almas felizes e estes se sentirem que valheu a pena viver e chegar a idade que tem hoje, um dia somos nós no lugar deles . E pensando bem; voces querem acabar sozinhos e azedos diante da vida ,um dia ?
Ou pode ser tudo isso ,ser uma béla despedida desta terra com um sorriso no coracäo?
Tá na hora de sermos evoluídos de alma e näo só de status !!!

menopausal mama disse...

Hi Ricardo! I tried ti find you on Bloggers.com but couldn't find your name. I wanted to thank you for joining my blog site http://Menopausalmother.blogspot.com I just joined your blog on your Google Friend Connect but i wanted to let you know it appears under the name Marcia Doyle and that is me, Menopausalmother. There is no picture with my name so it will probably appear at the end of your blog list of followers. Thanks again for sharing!

prestiti disse...

obrigado por este artigo, por vezes, as palavras que precisam abrir seus olhos.

Danilo prestiti

Mônica Bif disse...

Oi Ricardo! Curto muito Seu Blog, principalmente por que traz questões sobre as quais possuem causas nobres das quais tb milito. Existem muitas questões a serem discutidas sobre os idosos, quanto mais pessoas da sociedade se levantarem defendendo esta bandeira mais conscientização será gerada no mundo. E olha que são muitas questões ainda a serem discutidas para que certas realidades venham a ser mudadas, estamos ainda engatinhando nesse aspecto, o Estatuto do Idoso tem menos de 10 anos de nascimento, pouca coisa já foi feita pra mudar certos aspectos sobre a realidade prática dos idosos. Unidos podemos mais! Convido a seguires meu novo Blog: margaridasemacao.blogspot.com. Abraços!

Valdenice Freitas disse...

Passando para uma visitinha e te desejar um fim de semana de paz. Abraços!

Solange disse...

bom dia amigo!

ando afastada daqui...
mas jamais dos idosos com quem compartilho minha vida..
plantando, pra colher bênçãos no futuro!!

bjs.Sol

Vera Lúcia disse...

Parabéns! Bastante interessante seu blog. Precisamos mesmo cuidar de nossos idosos. São tão carentes, frágeis,já trabalharam tanto, lutaram tanto na vida, que merecem uma velhice digna.

Postar um comentário

Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.