sexta-feira, 13 de abril de 2012

Com mais de 20 milhões de idosos, Brasil tem apenas 218 asilos públicos.


Um estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), divulgado nesta terça-feira (24), revelou que o número de instituições públicas que abrigam os idosos não acompanha o crescimento da terceira idade, que já chega a mais de 20 milhões de pessoas, segundo o Censo de 2010. No Brasil, funcionam 3.548 asilos (públicos e privados). No entanto, a pesquisa mostrou que o governo, nas esferas municipal, estadual e municipal, tem apenas 218 asilos em todo o país.
O governo federal tem apenas uma instituição para os idosos, o Abrigo Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, que atende 298 pessoas. O estudo apontou que mais da metade das instituições brasileiras, 65,2%, são filantrópicas. E a contribuição do setor público representa apenas 22% das receitas desses lugares.
A pesquisa concluiu que os asilos brasileiros são mantidos pelos recursos dos idosos ou de familiares, mesmo as filantrópicas que recebem financiamento público. O Estatuto do Idoso estabelece que as instituições podem contar com até 70% do valor do benefício da aposentadoria. 
Cerca de 83 mil idosos vivem em asilos no Brasil, informou o estudo, que também apontou que as mulheres são maioria nessas instituições. Mas, de acordo com Ana Amélia Camarano, responsável pela pesquisa do Ipea, esse número ainda é muito pequeno se for considerar o número total de idosos no país.
Responsabilidade do Estado
Para ela, muitos idosos precisam de cuidados fora do ambiente familiar, mas a oferta de instituições que oferecem esse tipo de serviço ainda é muito pequena no país. Segundo Ana Amélia, a ausência de uma política estruturada de cuidados formais do idoso, faz com que a família seja a única responsável, sem nenhum apoio do Estado ou da iniciativa privada.
– Eu acho que o Estado tem, sim, que assumir uma posição mais efetiva na criação de mecanismos de proteção e cuidado das pessoas idosas. Porque a capacidade de as famílias desempenharem esse papel está diminuindo ano a ano e, paralelamente, aumenta a demanda e alguém tem que assumir isso. A perda da capacidade para atividades diárias é um resultado decorrente da idade avançada. E o Estado deve se responsabilizar por isso, já que criou a Previdência Social e a aposentadoria por invalidez.
A pesquisadora lembra que a Constituição Brasileira, a Política Nacional do Idoso e o Estatuto do Idoso responsabilizam as famílias por esses cuidados. Ana Amélia destaca que é preciso pensar uma política de cuidados de longa duração para a população idosa brasileira, inclusive porque, segundo ela, a oferta de cuidadores familiares tende a se reduzir nos próximos anos.
- Hoje, as pessoas trabalham e estudam mais que no passado. E essas pessoas não dispõem de tempo para cuidar dos idosos que precisam de cuidados diários e específicos.
Mas ela ressalta que a opção por uma instituição para cuidar do idoso não significa que haverá uma ruptura familiar definitiva A pesquisadora destaca que os asilos são historicamente associados ao abandono familiar e à pobreza. E, nessa associação, está a origem do preconceito.
- Não existem rupturas como se imagina. O idoso deve e precisa manter relações com a família quando está em um asilo.


6 comentários:

Janice Adja disse...

Existe família que quer apenas a aposentadiria do idoso.

Nádia Santos disse...

Realmente o idoso precisa de maior assistência, apoio, mais antes de tudo, carinho e respeito. Parabéns pelo blog, está lindo e pela iniciativa. Tem todo o meu apoio. Estarei sempre divulgando. Grande abraço e sucesso!

Anônimo disse...

Olá, meu nome é Matheus Caselato e sou produtor do Conexão Repórter, programa apresentado pelo jornalista Roberto Cabrini no SBT. Estamos fazendo uma matéria sobre situações extremas vivenciadas por idosos, entre elas as de humilhação, maus tratos, abandono e violência. Gostaria de saber se você poderia me ajudar ou indicar alguém que possa a encontrar casos de pessoas que estejam passando por alguma situação dessas, alguém que agrida ou mau trate idosos, alguma clinica ou asilo clandestino ou que não respeite as normas e legislações. Ou alguém que possua vídeos de situações como essas. Alguém que conheça um idoso que viva abandonado ou em uma situação muito difícil tendo de trabalhar mesmo sem condições. Enfim, qualquer ajuda. Desde já agradeço. Abraço

manolo disse...

Las Residencias de ancianos, son escasas, para el número que lo necesitan.
Pero es lo que hay .
Saludos, manolo SEVILLA, España

marinosinbarco.blogspot.com
ETERNAMENTE UNIDOS

Mensagens Abençoadoras disse...

Olá!
Sabe, a vida ensinou-me a amar os idosos através da vida de minha mãe, que agora cuido, pois ela esta com alguns probleminhas mentais e não podemos deixa-la só de jeito nenhum!
Eu sei da importância dos asilos, mas mais importante ainda é a familia ter conciência de nossos velhinhos querem mesmo é estar perto da gente...e um dia chegaremos lá também né...
Gostaria de dividir com quem quiser ir passear no meu cantinho, um post que escrevi sobre mamãe chama-se " Um anjo em minha vida".Obrigada
Deus abençoe vc Ricardo, e tbém a todos que amam nossos velhinhos.
Com amor
Marly

Cores de Zoe disse...

Muito digno seu blog, amigo!
Parabéns pela luta!
Abraços

Postar um comentário

Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.